Translate

Regras da Relação | a condição



O que mais Me encanta no contexto Femdom é a delícia de viver o Meu absoluto prazer e total satisfação a fim de revigorar as Minhas vontades. Sempre e somente.

Gosto que Me chamem de Senhora e Rainha e gosto do termo “Meu escravo”. Entretanto, para que Minha intenção soberana se deslumbre, exijo que toda essa fantasia vá além do uso de termos, mas que ocorra em sua plenitude. Em outras palavras: Sou uma Rainha que goza de total domínio sobre aquele que se subjugou e acatou as ordens para servir-Me.
Para saciar-Me em tudo o que desejo, trago na coleira Meu escravo doug. Uma vez que o aceitei nessa condição, seus desejos e suas vontades simplesmente deixaram de existir e tornaram-se NADA para Mim. Possuir o controle total sobre ele, vetando suas próprias vontades, faz Meus olhos brilharem com mais vivacidade.

Meu escravo está consciente de que apenas existe para Me obedecer e Me ser útil e é assim que ele passa seu tempo: pensando unicamente em Minhas prioridades, estando sempre pronto para ficar aos Meus pés e iniciar o atendimento das Minhas satisfações. No Meu condicionamento está evidente que ao escravo cabe o compromisso de nunca se esgotar em sua entrega, a fim de Me presentear com todos os gozos, sem ousar aguardar qualquer tipo de recompensa, a não ser castigos e mais humilhações. Também não permito que ele se sinta satisfeito ou tire qualquer vantagem que o beneficie em seu caráter submisso. Quero que ele sofra e se subjugue à todas as situações possíveis de infortúnio, evidenciando que é para o Meu prazer que ele está ali, diante do Meu sadismo e abaixo das Minhas ordens.

Faz parte do Meu prazer saber que ele não pode se contentar nem mesmo com as migalhas que lhe dou. Meu prazer aumenta com a constatação de que toda a sua entrega é pela Minha glória e não a sua própria. Foi o destino que ele escolheu e que a Minha coleira em seu pescoço selou. Meu prazer o obriga a repetir sua constatação de que não lhe há mais escolha alguma. Sempre de joelhos, seu agradecimento reverencial é obrigatório: “- Obrigado Senhora, por me transformar em algo útil para o Seu deleite. O brilho nos Seus olhos é minha única e melhor recompensa”.

E é sempre assim. A cena prossegue com alguns tapas em sua cara, e suas reverências se completam lambendo Meus pés. A permissão que dou para Meu escravo se aproximar do Meu corpo é somente pelo Meu desejo de ser acariciada e contemplada. Em todas as demais ocasiões, seu toque só se faz necessário junto a alguma condição de servidão que contente também Meu sadismo dominante: sendo Meu lavabo após o toalete; adorando Meus pés suados após o caminhar, necessitados de massagens relaxantes; limpando Meus calçados sujos; ofertando sua boca para Meu lixo ou estirando seu corpo como Meu capacho; oferecendo-o para Minhas marcas...

Por fim, a vida do Meu escravo é aprisionada pela obrigação de Me atender. É uma vida condicionada a se contentar em ser secundária à Minha. É uma "sobrevida" escrava e agora casta. Quando lhe dei o cinto de castidade, acompanhei deliciosamente seus olhos baixarem humildemente, acatando a sua clausura. Depois de trancado, o tilintar das chaves passou a ser o único sinal para um princípio de entusiasmo, constatando sua perfeita entrega pelas obrigações como Meu servo. Mas dado o Meu grau de exigência, um prêmio muito difícil de se conquistar... Por vezes, um alarme cruelmente falso, tudo pelo Meu real divertimento...


by Melinda Domme

~ 4 comentários: ~

Anônimo
at: sexta-feira, agosto 20, 2010 1:25:00 PM disse...

Um excelente relato de uma realidade saborosa de se compartilhar, ainda mais sabendo que provém de um casal distinto e discreto como vocês.

Anônimo
at: sexta-feira, agosto 20, 2010 11:41:00 PM disse...

"Por fim, a vida do Meu escravo é aprisionada pela obrigação de Me atender. É uma vida condicionada a se contentar em ser secundária à Minha. É uma "sobrevida" escrava e agora casta."
este é Um dos melhores trechos sobre entrega do escravo e castidade que eu já li. Parabéns!

crazyforfeet says:
at: sábado, agosto 21, 2010 1:44:00 PM disse...

Melinda!!! minha grande amiga sangue nos olhos!!! hehehe vou sempre estar passando por aqui!!! bjão

speedkikorj says:
at: domingo, novembro 07, 2010 5:37:00 AM disse...

Maravilhosa Rainha! Além de Linda, tens a poesia na ponta da pena. Um texto delicioso de ser lido.
Parabéns aos casal!

~ Postar um comentário ~

Ocorreu um erro neste gadget